Carro, ônibus ou bike?

O Espírito Outdoor, normalmente trata de assuntos relacionados ao esporte. Apesar do artigo não estar diretamente relacionado ao esporte achei que valia a pena abrir uma exceção.

Recentemente escrevi um artigo com dicas de segurança para os ciclistas devido aos crescentes acidentes de trânsito envolvendo carros e bicicletas. Eu já me envolvi em acidentes com carros 2 vezes, e sempre achei que isso acabava acontecendo por disputa de espaço e pelo fato de que os motoristas sempre acham que tem mais direito nas ruas do que os ciclistas.

Numa das minhas leituras me deparei com uma gravura que ilustra as consequências do nosso estilo de vida.

A ilustração é do escritório de planejamento da cidade alemã de Müenster, que é considerada como a Capital das Bicicletas e é também chamada de Capital Alemã de Proteção ao Clima. Na foto vemos uma rua e sessenta pessoas em três situações, onde elas supostamente estão optando por meios de transporte diferentes: carros, ônibus e bicicletas.

meios de transporte alternativos

Na opção pelos carros podemos ver o espaço da rua totalmente ocupada pelos carros, na segunda opção, apenas 1 ônibus, as sessenta pessoas e a rua vazia. Na última parte da figura vemos as bicicletas e as pessoas e também a rua vazia. O impressionante é que são apenas 60 pessoas, multiplique isso pelo tamanho da sua cidade.

  • Ao escolher a comodidade do carro, o resultado não é só o espaço ocupado pelos carros, o que nas grandes cidades como São Paulo, se traduz em congestionamentos, mas falamos em um custo de 8.400g de CO2/km.
  • Ao escolher os ônibus, melhora-se visivelmente o trânsito, mas ainda sim temos uma produção de 3.600g de CO2/km.
  • Já no exemplo da bicicleta, melhoramos o trânsito sem prejudicar a atmosfera.

Hoje ando de carro na maior parte dos dias. Durante os 2 últimos anos de colegial, meu meio de transporte para a escola e para os treinos de natação era única e exclusivamente a bicicleta. Durante a faculdade a bike era meu transporte número 1, usando o ônibus apenas nos dias de chuva mais forte ou de muito frio.

Hoje me proponho a ir trabalhar de bike 1 dia por semana, e o faço com muita dificuldade e sacrifício. Tenho alguns conhecidos de outros países que não tem carro, usam o transporte coletivo ou pedalam para ir ao trabalho e estudos.

Por que no Brasil é tão difícil? Será que ficamos acomodados ou preguiçosos com o tempo? Queria entender.

Se você faz algo legal pelo planeta compartilhe deixando seu comentário.

Gostou de nossos artigos e quer recebê-los por email? É só clicar aqui!

Você pode também seguir nosso perfil no Twitter!

O Espírito Outdoor apoia o esporte e se mantém com os anúncios de produtos no site. Se você comprar algo dos links do site estará contribuindo para mantermos o nosso trabalho. Obrigado!

Leia mais sobre o assunto

9 comentários sobre “Carro, ônibus ou bike?

  1. A maior dificuldade de aderir meios alternativos como exemplo a bicicleta, deve-se por conta do perigo que nos expomos e falta de local adequado para deixar a magrela.

  2. Possivelmente o que dificulta muito o uso da bicicleta como meio de transporte no Brasil são os seguintes fatores:

    1- planejamento urbano que excluí esse modal de transporte; vide por exemplo a falta de ciclofaixas, ciclovias e ciclorredes
    2- falta de bicicletários (estacionamentos para bicicletas) nos estabelecimentos
    3- falta de vestiários com chuveiros para aqueles que optarem em ir ao trabalho de bicicleta
    4- e por último uma questão cultural do povo brasileiro, o “endeusamento” do carro, que coloca a bicicleta como um meio de transporte marginal, associado à pobreza

  3. Putz, a falta de lugar seguro para deixar a bike pesa muito mesmo. Lembro que no começo da faculdade podíamos deixar a bike dentro da sala de aula, depois que isso foi proibido passei a ir menos frequentemente de bike a faculdade.
    Bem colocado Mateus!

  4. Tenho 20 anos e utilizo a bicicleta como meu principal meio de transporte.

    O meu maior problema é a segurança, pois os carros pensam que a via pública é de sua exclusiva propriedade ( e quanto mais caro o carro/moto, mais direito ele acha que tem sobre a via).

    Depois vem o problema de chegar suado no estágio e a questão de onde prender a bike.

    1. Jayme, esses problemas que você citou são comuns a maioria das pessoas que usam a bike como meio de transporte.
      Realmente eles são um pouco chatos, mas com criatividade podemos driblar alguns desses problemas e continuar usando a bike.
      Eu apesar das dificudades tento usar a bike como transporte sempre que posso.
      Torço para que um dia a mentalidade das pessoas mude sobre isso.
      Força aí!

Deixe um comentário!