O Guia Definitivo dos Pneus de Mountain Bike

(Post atualizado em 28/10/2014)

Escolher o pneu adequado para sua MTB pode ser uma das coisas mais confusas para o ciclista iniciante. Existem muitas opções e muitos fatores que afetam o desempenho dos pneus como  quantidade e tamanho de cravos, calibragem, largura, material de construção….
Para ser lançado no mercado os pneus passam geralmente por 2 tipos de testes: 1-)  resistência a rolagem, onde os pneus são testados e a potência, para se andar numa determinada velocidade, é medida; 2-)  tração,  e durabilidade, onde os pilotos de teste levam os pneus a condições extremas de uso, terreno e calibragem.

teste de pneus mountain bike
Burry Stander fazendo um teste de resistência a rolagem em um dos protótipos da Specialized

Vou detalhar abaixo os fatores que afetam a performance do pneu, mas principalmente escolhemos entre tração e controle. Maior tração significa que você terá mais controle sobre a bike mas andará um pouco mais devagar. Menos tração significa que você vai andar mais rápido principalmente em piso duro mas não terá tanto controle da bike principalmente nas curvas, subidas e em piso solto (areião, lama, pedras).

O que afeta um pneu?

Kevlar ou Arame

pneus com arame
Exemplo de pneu com arame

Basicamente temos 2 tipos de pneus os pneus com banda de kevlar e os de arame. Os pneus de arame possuem uma armação de arame o que os deixa “armados” e não deixa que esses pneus sejam dobrados. Normalmente os pneus com arame são mais pesados, muitas vezes mais duros de se colocar e tirar da roda, mas também são pneus mais baratos.
Os pneus com banda de kevlar são mais maleáveis, mais leves e podem ser dobrados. Na maioria das vezes são mais fáceis de se trocar, porém costumam ser mais caros.

Pneus Tubeless

Existem pneus que foram construídos para serem usados sem câmara de ar (tubelless) em aros especiais. Isso garante aos pneus menor chance de furar já que 80% dos furos são ocasionados em pancadas onde a camara de ar é “mastigada” entre o aro e o pneu ocasionando um tipo de furo comumente chamado de snake bite (mordida de cobra) pois a câmara fura em 2 lugares ao mesmo tempo assemelhando a uma mordida de cobra.
Pneus tubeless permitem que você ande com menos pressão o que no mountain bike significa andar mais rápido.
É possível montar o sistema tubeless com pneus normais. Dessa forma o peso total da roda diminui já que pneus normais são mais leves que pneus tubeless. A desvantagem é que assim aumenta o risco de furos nas laterais dos pneus, uma vez que os pneus normais são um pouco menos espessos que pneus tubeless.
Para utilizar tubeless normalmente é colocado um liquido selante dentro do pneu para vedar os furos que por ventura possam surgir no pneu. Comecei a usar tubeless a 2 anos e nunca mais furei um pneu.

mordida de cobra
Snake Bite ou mordida de cobra – o tipo de furo mais comum.

Fios por polegada (Threads per Inch – TPI)

Medida relacionada a trama do pneu, tecido que fica no meio da borracha (normalmente vem escrito na lateral ou na embalagem do pneu). Um TPI mais alto significa que o pneu possui mais material por polegada, sendo um pneu mais macio e leve, mas ao mesmo tempo mais fino. Um TPI mais baixo significa um pneu mais robusto, porém mais duro e pesado.

Material do pneu

Os pneus normalmente são compostos por diversos tipos de borracha. É comum que um mesmo pneu adote uma borracha mais dura para a banda de rolagem do pneu e uma borracha mais mole para as laterais do pneu.
Existem pneus onde a banda de rolagem é feita de kevlar. Para quem não sabe kevlar é uma fibra sintética muito resistente ao calor e é 7 vezes mais resistente por unidade de peso do que o aço. Quando adicionado na banda de rolagem dos pneus confere mais resistência e maior durabilidade. Se couber no seu orçamento, escolha pneus de kevlar.

pneu de kevlar
pneus de kevlar são mais leves, macios e resitentes

Cravos: tamanho, forma e espaçamento

Um cravo maior (tanto no tamanho quanto na altura) aumentará sua resistência a rolagem significando que você será mais lento no piso duro mas mais rápido em pisos soltos (pedras e areia). Cravos menores oferecem uma menor resistência a rolagem o que significa que você será mais rápido no piso duro, mas te deixarão com pouca tração em terrenos como areia e lama.
O formato dos cravos também afeta a performance do pneu. Cravos mais concavos significam maior resistência de rolagem e maior tração. Cravos quadrados e arredondados significam maior velocidade.
Menos cravos melhora a rolagem do pneu mas piora o controle. Por isso a maioria dos pneus de competição possuem muitos cravos pequenos, isso é uma forma de deixar o pneu rápido sem ter que sacrificar o controle da bike. Para lama normalmente recomenda-se pneus com cravos mais espaçados pois assim a lama não gruda tão facilmente nos pneus.
Atletas de elite, que geralmente são extremamente técnicos, costumam cortar alguns cravos de seus pneus para reduzir o peso e deixar o pneu mais rápido.
Obs.: não tente fazer isso em casa pois o risco de você estragar seu pneu é grande.

pneus mountain bike competição
Protótipo da Specialized utilizado por Burry Stander e Christoph Sauser

Curvas

A performance de um pneu nas curvas esta diretamente relacionado com seus cravos laterais.
Procure por pneus que tenham cravos laterais bem próximo das bordas do pneu. Uma borracha mais macia adere melhor em piso duro, uma borracha mais dura é recomendada para piso solto.

Largura

Quanto mais largo for o pneu maior será sua pegada no chão, pneus mais largos conferem mais tração mais tem maior resistência a rolagem. Na maioria das vezes é recomendado um pneu entre 1.9 e 2.1, para lama é recomendado pneus mais finos 1.8 (atletas muito técnicos usam 1.5) pois retém menos barro.
Pneus mais largos 2.2, são mais rápidos na areia. Você pode usar um pneu 2.2 com 2psi a menos que um pneu 2.0 e acredite, eles são mais rápidos do que o mesmo pneu 2.0 no areião, porque tem menor resistência a rolagem, pois com uma “pegada” maior eles se mantém mais na superfície da areia ao invés de afundar e criar mais resistência. Uma estratégia muito usada é usar um pneu mais largo na frente (2.1-2.2) e um pneu mais fino (1.8-2.0) atrás. Isso confere maior controle nas curvas sem sacrificar a resistência a rolagem.
Leia também Largura do Pneu da Bicicleta.

Pressão (atualizado em Março de 2013)

Pneus com camara devem ser usados na faixa de 40-45 psi 35-40psi, pneus tubeless devem ser usados 30-35 psi 25-33psi, menos até em alguns casos. Isso varia de acordo com o terreno que você for andar, o peso do atleta e a habilidade técnica do ciclista.
Ciclistas mais pesados devem usar um pneu mais cheio. Em piso duro pressões mais altas são melhores. Para areia recomenda-se uma calibragem de 5-10 psi menor do que normalmente você usa em piso duro.
Ciclistas mais técnicos também podem usar pressões menores nos pneus.

Direção do Pneu

Os pneus normalmente vem com uma recomendação de direção na sua lateral.
É comum encontrar pneus onde se utiliza o pneu em um sentido na dianteira e o sentido inverso na traseira. Siga a recomendação dos fabricantes, na maioria das vezes é o melhor jeito de otimizar sua performance.

Meus pneus preferidos?

Competição (all terain-hardpack)

  • Hutchinson Cobra (continua sendo o meu pneu favorito)
  • Maxxis Larsen TT – tracionam bem na traseira e freiam bem. É um pneu ruim de curva. Hoje está ultrapassado, e não tem versões para 650B e aro 29.
  • Specialized Fast Track – um pneu all around muito equilibrado e rápido!
  • Specialized Renegade – Um pneu bom nas retas, mas péssimo nas curvas. Use-o na roda traseira, ou em um percurso de chão batido
  • Maxxis Monorail – Pneu de grande Volume. Rola fácil e bom de curvas. Para ser usado no areião deve ser usado com baixa pressão. Recomendo a largura de 2.1.
  • Schwalbe Rocket Ron – O pneu atual da minha bicicleta. Um pneu all-around muito bom. Rola rápido, limpa bem a lama e tem um grip fantástico nas curvas! Pra quem usa bicicletas  de XC com rodas 650B, recomendo 2.1 ou 2.2 na frente e 2.0 atrás.

Piso solto (loose over hardpack)

  • MAXXIS RANCHERO – embora alguns achem pesados , nada bate esse pneu no controle e resistência. Sou fã desse pneu. Podiam lançar versões 29er e 650b desse pneu!
  • Maxxis Crossmark – uma versão melhorada do Rancheiro. Rola um pouco mais rápido. Fuja desses pneus para andar na lama!
  • Kenda Small Block 8 – Pneu com vários cravos pequenos, rola rápido, traciona bem, bom nas curvas.  Não sou muito fã, mas muitos amigos adoram. Desvantagens: gasta rápido e fura fácil.
mud tires
Maxxis Medusa – Old School? Mas ainda o preferido de muita gente para a lama

Lama

Maxxis Meduza 1.8 e 1.5 – o favorito de muita gente quando a lama aparece.
Bontrager Mud X – pneu muito bom pois seus cravos espaçados permitem a lama se soltar facilmente. A desvantagem é que normalmente são encontrados em tamanho 2.0 o que pode reter um pouco de lama no quadro.

Maxxis Beaver – Uma evolução do Maxxis Meduza. Apesar de ser projetado para a lama, o pneu se defende bem em piso levemente molhado e em piso solto.

* Os pneus listados acima representam apenas minha opinião pessoal.

Bons treinos!

Gostou de nossos artigos e quer recebê-los por email? É só clicar aqui!

Você pode também seguir nosso perfil no Twitter!

O Espírito Outdoor apoia o esporte e se mantém com os anúncios de produtos no site. Se você comprar algo dos links do site estará contribuindo para mantermos o nosso trabalho. Obrigado!


56 comentários sobre “O Guia Definitivo dos Pneus de Mountain Bike

  1. O que vc do Crossmark atrás? Não senti muito controle da bicicleta. Deixei um Crossmark na frente e um Ranchero atrás. Essa combinação ficou perfeita. Uma diminuída na calibragem do traseiro aumentou muito o conforto e a facilidade para pilotar a bicicleta. Com 81kg, uso agora entre 34 e 37 psi.

    1. Fala Matheus!
      Apesar do Crossmark ter sido eleito como o melhor pneu traseiro de 2009 por uma revista americana, eu gosto muito dele na frente também. Eles entram no mercado para substituir os RAncheiros que estão saindo de linha.
      Acho que o Crossmark é um Rancheiro melhorado, pois os cravos centrais são mais baixos, o que deixa o pneu um pouco mais rápido e os cravos laterais dão conta do recado. Mas pessoalmente eu não tenho queixas quanto ao desempenho dele atrás, gosto de como ele traciona e gosto dele nas curvas.
      Quanto a pressão utilizada, prefiro andar com os pneus com menos ar. Não vou entrar em detalhes, prefiro que vc veja o artigo de amanhã!
      Abração,

    1. Não dá pra ter o melhor nas duas coisa.
      No meu caso, que tenho apenas uma bike que uso para treinar XC e pedalar para o trabalho.
      Uso um pneu próprio para XC, que otimiza meu desempenho no MTB, mas que faz com que eu faça um pouquinho mais de força no asfalto, do que se estivesse com um pneu slick.
      Ou seja, depende das suas prioridades. Mas de um modo geral, um pneu de cravos baixos, vai bem tanto no asfalto quanto na trilha, principalmente se ele for um pneu de grande volume e usado com baixa calibragem nas trilhas.

    1. Paulo, o X King é o meu pneu preferido da continental, por ser bem versátil e melhor nas curvas do que o Race King. No entanto ele não entrou na lista, pois meu uso foi limitado a um curto periodo.
      Pretendo usá-lo bastante agora no começo do ano e incluí-lo na lista, assim que tiver mais tempo de teste, ok?
      Obrigado pelo comentário!

  2. Opa, amigo. Uma dúvida. Tinha um par de rodas o de tinha cubos de menor qualidade, com eles possui bem menos velocidade q meus companheiros, a bike não desenvolvia bem, então compre novas rodas com cubos Nóvoa Deore SLX e ficou na mesma!!! Pode ser um problema com o pneu comum que eu uso de arame?

    1. Os cubos não são o único fator para a performance de uma roda.
      É claro que bons rolamentos influenciam no desempenho total, mas o peso total da roda e principalmente o peso do aro, é importante para que a roda consiga acelerar e manter a velocidade.
      Outro ponto bastante negligenciado pela maioria dos mountain bikers é a pressão dos pneus, estar com a pressão correta para o terreno que você irá andar, faz toda a diferença do mundo!
      Espero ter ajudado.

  3. Bom dia rodrigo, cara montei rodas para competição e estou na duvida de qual setup usar, vou usar Tubuless, porém não vou colocar pneus Tubeless nato devido ao peso. Você sugere algum setup legal para competições de maratona e XCO?

    1. Eduardo, para pedras soltas é recomendado um pneu de maior volume e com cravos grandes.
      Maxxis Ardent, Schwalbe Noby Nick e Continental Cross-King, são minhas recomendações para trilhas com pedras. Antente-se que todos esses pneus são vendidos em diferentes versões, eu sempre prefiro a versão mais resistente (e um pouco mais pesada) pois penso que mais vale carregar um pouco mais de peso nas subidas do que ficar parado durante uma competição por causa de um furo no pneu.
      Abraço,

  4. Tudo bem Rodrigo? Parabéns pelos excelentes artigos. Tenho uma dúvida sobre a escolha dos pneus. Minha bike veio com os dois pneus Schwalbe Rocket Ron 2.1. Eles tem uma excelente rolagem mas não aguentaram bem os terrenos por onde ando com pedras, raízes e espinhos. Além de furar bastante, desgastaram rápido e um rasgou na lateral. Seguindo a recomendação de um amigo comprei o Nobby Nic e converti em tubless pra acabar com o problema de furos e ter um pneu mais resistente. Porém, estou com medo da bike ficar mais lenta nos estradões. Moro em Fortaleza e os terrenos por aqui são secos a maior parte do ano. Daí pensei em colocar um Nobby Nic atrás e escolher outro com melhor rolagem na frente. Me sugeriram colocar o Rocket Ron 2.25 na frente mas to procurando uma opção mais econômica. O que você recomenda? Obrigado.

  5. Olá Rodrigo belo artigo uso pneus shwalbe rock Ron 2.1 na frente e Thunder bird atrás 2.1 todos tubelles só que escorra demais o traseiro em cascalho com pedras solta qual seria u.a opção boa para eu colocar na traseira para prática de xco

  6. Rodrigo beleza… achei otima a materia dos pneus.

    Atualmente tenho um Rubena Kratos 29 2.25 (TSS+TEXTRA). Esta dificil de achar um assim no mercado para substituição.

    Estou pensando em pegar um Mountain King Perfomace 29 2.25, pois tenho 100kg e ando muito em lugares com bastante pedra soltas.

    O que vc sugere, a escolha está certa?

    Abraço

  7. Oi Rodrigo. Parabéns pelo seu trabalho. Faço cicloturismo com uma tandem e preciso de pneus para terra batida e praia. Pensei em colocar um Montain King 2.2 ou 2.4 na frente e um X King 2.0 a traz. Mas os comentários dos colegas me deixaram em duvida. Será que a combinação de X King e race King sería melhor para o meu caso?

  8. Prezado Rodrigo sou pesado, tenho 106 kg e uso KENDA SMALL BLOCK EIGHT, suporta de 30 ~80 psi.
    Uso 90% do tempo em percursos urbanos mas de vez em quando em parques e terrenos mistos, terra e cascalho.
    Qual ao ser ver seria a calibragem ideal FRENTE/FUNDO para as duas condições?

  9. Só corrigindo o e-mail anterior.
    Ainda querendo saber sobre calibragem para um ciclista pesado de 106kg.
    Pneus Knda SMALL BLOCK EIGHT 29×2.1
    Uso urbano e terreno terra/cascalho
    Se possível calibragem para as duas condições.

    1. Claudio, esse pneu é excelente, mas se usado no asfalto tende a desgastar rápido. Mas é um pneu barato.
      Quanto a sua dúvida em relação a pressão ideal sugiro seguir o guia de calibragem que eu escrevi. Baste olhar a tabela referente ao seu tamanho de roda (aro 26, 27.5 ou 29), olhar a linha referente ao seu peso e procurar as recomendações de calibragem. https://www.espiritooutdoor.com/qual-a-pressao-correta-para-o-pneu-de-mtb/
      Grande Abraço

  10. Olá Rodrigo, gostei muito deste espaço de discussão, e aproveito para tirar umas dicas com você, pretento neste ano fazer umas 5 etapas do XTERRA incluindo ilhabela, tenho bastante experiência no MTB, mas não sei nada sobre o terreno de XTERRA. Já andei muito com specialized fast track, renegade e agora estou pensando em um continental x-king 29x 2,2 protection. De acordo com sua experiência o que voçê acha que ficaria bom para este tipo de competição. Pensei até em colocar um mais cravudo na frente e um de maior rolamento atrás.

    1. Rodrigo, procure se informar no próprio site do Xterra quanto aos percursos.
      Mas cada etapa tem as suas particularidades, por exemplo as etapas da costa verde e ilhabela tem o terreno mais “molhado” e as etapas mineiras terenos mais “secos” o que exigiriam idealmente pneus diferentes.

  11. Olá, sou novo aqui, aliás,l estou começando na arte do MTB e preciso aprender muito ainda. Falando em pneus, ganhei uma bike que tem um tipo de pneus misto (quase slick no meio com cravos nas laterais).
    Esse tipo de pneu (aro 26) são indicados para qual tipo de piso?

  12. ola…. parceiro estou montando uma bike… trilha,passeio e etc…. estou com duvidas em relacao a pneu..quero começar com um pneu que tenha um custo benefcio ate 80 cada…. depois compro um top…qual vc indica e quais as medidas adequadas..frente x atras.. minha bike eh 29….

  13. Boa tarde Rodrigo, estou mudando meus pneus por desgaste (WTB Nano 29er) e estou sentindo muito ele patinando nas subidas, quase todas as subidas aqui tem muito cascalho pedras soltas, ando muito em arreião e terra batida, então estava pensando em colocar na frente um Ground control (specialized) ou maxxis ardent para me dar mais estabilidade, e atrás estou entre o Fast Track control specialized ou o maxxis Aspen, para não perder velocidade e continuar com tração na subida, o que você acha? desço correndo em estradas com muita pedra e erosão também.

  14. Boa tarde Rodrigo,

    Ano passado usei Tubeless com pneus Schwalbe Rancing Ralph TLE, gostei muito do resultado, tenho vontade de voltar a usar mas com pneu que não é especifico para Tubeless, hoje tenho 2 jogos de Pneus, 2 Rocket Ron performance 2.1, um Race King 2.2 e um Arisun Mont Graham 2.2. Atualmente estou usando o RR na dianteira e o Mont Graham na traseira mesmo sendo 2.2, estou querendo andar mais em trilhas com raizes, pedras e terrenos mais técnicos que necessitem de mais aderencia e menos pressão dos pneus, será que arrisco um tubeless nesses pneus?

  15. Rodrigo, sds hoje utilizo pneus kenda Honeybadger 29×2.2 com camara e acho eles muito pesados e com bastante resistencia a rolagem, estou trocando minhas rodas por tubeless e gostaria de uma indicaçao de pneu p uso misto, ando mais em estradao, um pouco em areiao e pedra solta e bem pouco no barro. gostaria de um pneu rapido e que nao desse problema ao ser utilizado como tubeless. agradeço.

  16. Rodrigo, estou pensando em comprar o Maxxis Pacer, utilizo em estradões e trilhas de terra seca. Será que não irá gastar muito rápido na estrada devido aos cravos baixos?

    1. Renan esse pneu é vendido em duas versões, uma versão mais leve e com MENOR durabilidade (voltado para competições) e outra mais pesada com MAIOR durabilidade. Se durabilidade for sua prioridade compre a versão mais pesada do pneu!

  17. Boa tarde!

    Adoro andar em XCO e ando em estradões de terra batida e em asfalto para chegar nos estradões. Priorizo um pneu que tenha durabilidade e se possível que seja bom nas curvas dos estradões e no XCO.

    Estou usando o pneu Michelan Wild Grip’ R na dianteira, antes usava o Maxxis Crosmark, tenho a impressão que o Crossmark era melhor na dianteira.
    Comprei um Fest Trak Grid com 2.2 e 2 Chaoyang H-5129 com 2.1; entre esses dois e o Michelan Wild Gripe’ R qual vai melhor na roda dianteira?
    Uso na roda traseira o Maxxis Crossmark, qual pneu usar quando ele acabar, o Fest Trak Grid com 2.2 (tenho 1 só) ou Chaoyang H-5129 com 2.1 ou ate o Michelan Wild Grip’ R (caso tenha tirado ele da roda dianteira)

    Desde já agradeço!

    1. Se a sua prioridade é a durabilidade usaria crossmark ou o fast track control, que são mais duráveis do que o Michelan.
      Na traseira, as três opções são boas. O Michelan Wild Grip’ R é um excelente pneu, mas não para as condições que você costuma andar.
      Abraço

      1. Me desculpe fiquei em duvida, na roda dianteira vamos esquecer a durabilidade, vamos priorizar a aderência nas curvas qual funciona melhor: Fast Track Grip, 2.2; Chayong H-5129, 2.1 ou o Michelan Wild Grip’ R, 2.1?

        E o Michelan Wild Grip’ R, 2.1 é excelente em quais condições?

        Desde já agradeço!

        1. Minha resposta anterior, em relação ao comportamento dos pneus, baseia-se apenas na análise dos cravos do pneu, para andar um pouco no asfalto e em trilhas de terra batida.
          No entanto, se um dos pneus tiver uma borracha mais mole, irá conferir mais aderência nas curvas, mas terá menos durabilidade (todos os pneus citados são oferecidos em mais de uma versão, com diferentes tipos de borracha).
          O Michelan Wild Grip, é indicado para situações mais extremas onde haja pedras, piso molhado e raizes.

  18. Bom dia!! Estou com uma duvida meus freios são deore xt, os discos de freio são comuns. Em sua opinião vale a pena comprar os discos deore xt ice SM R-81 ou posso usar os discos Deore SM- RT64 ou ate mesmo o Alivio SM RT-54?
    Caso eu utilize o SM RT-81 tenho que usar as pastilhas de freio originais, que custam entre 50 e 100 pela internet, para este disco ou poderei usar pastilhas paralelas?

    O assunto não se refere a pneus mas li poucas informações sobre discos se puder me ajudar fico grato Rodrigo!

    Desde ja agradeço!!

    1. Se couber no orçamento os freios xt são significativamente melhores do que os deore. Se estver com orçamento apertado, pode sim comprar os deore sem problemas que eles dão conta do recado, usei um por 4.000km e nunca me deixaram na mão.
      Quanto as pastilhas paralelas, dá certo sim em todos eles.

  19. Boa noite Rodrigo!! Estou pensando em usar coroas 2 coroas 26/36 ou 24/36 deore xt 11v com o cassete sunrace de 11v 11-46; a corrente estou em duvida se uso a sunrace de 11v que tem um bom preço, sabe se ela é boa? Qual corrente de 11v tem o melhor custo beneficio, Shimano 601, 701, Sram 1110, 1130 ou outra Sram, KMC ou Sunrace ou outra corrente? Muito obrigado!!!

    1. Aimed, a escolha da relação depende do releve que você costuma a pedalar, se for muito muito montanhosa sua região escolha 36/24. As correntes eu sempre compra a que está mais barata, acho que a diferença de preço entre as correntes mais caras e mais baratas, não se justificam na minha opinião. Acho de verdade que faz pouca diferença.

      1. Agradeço demais pela resposta anterior Rodrigo!! se puder me responder essa: me recomendaram usar 5 correntes mas usei 3 correntes novas ate a medida do desgaste 1; depois de usar as 3 novas coloquei a primeira usada vou andei 900 km e depois a segunda e a terceira andarei entre 800 e 1000 km; farei o rodizio delas . Você recomenda fazer isso? E se recomendar quantas correntes usar? E depois delas terem sido usadas a primeira vez andar quantos km com cada uma 500, 800, 1000 km? E se pode usar correntes de marcas diferentes? Estou usando assim e estou gostando! Desde já agradeço!!!

        1. Rapaz, fazia isso em minha speed (road bike) e usava o cassete rotacionando as correntes até o cassete parar de indexar.
          Na MTB, usando 1 volante, uso a corrente até a marca de 70% e troco por uma nova. Para mim, isso significa trocar a corrente a cada 1200-1600km na bike, antes de começar a danificar o cassete. E o cassete, dessa forma aguenta andar por umas 3 trocas de corrente, acima disso, algumas marchas começam a pular.

Deixe um comentário!